Caso Clínico: Vampirismo

946620_564556646929598_1212161925_nVeio ao meu consultório uma mulher de 37 anos, que assim me relatou:

“Não tenho vontade de fazer nada, Dr. Osvaldo. Tenho muitas idéias, penso em colocá-las em prática, mas não consigo. Eu me formei a duras penas, ou seja, até o 9º semestre da Faculdade de Direito. Eu era a melhor aluna, nunca tinha ficado de exame, porém, no último semestre quase fui reprovada em uma matéria.
Nunca passei no exame da OAB (Ordem dos Advogados), no entanto, faço os testes que esses sites de concursos têm para avaliar o conhecimento dos candidatos e eu acerto quase tudo. Mas, quando presto os exames, das 100 questões acerto só 30.
No âmbito pessoal, tenho um marido e um filho, mas não temos uma casa própria apesar de termos uma boa condição financeira. Porém, como é só o meu marido que trabalha, eu me sinto uma fracassada. Hoje ele mora em um local e eu em outro -não me pergunte o porquê-, pois não saberia responder.
A gente brigava muito quando estávamos juntos e esse distanciamento melhorou o nosso relacionamento. Não me dou bem com a minha família e ele também não se dá bem com a dele e vivemos em uma situação que não muda: ele tem sua profissão, trabalha, mas eu não tenho forças pra nada. Até começo algumas coisas, mas nunca termino nada do que me proponho a fazer. Sabe doutor, não tenho prazer em nada e isso vale para todos os aspectos de minha vida…

Ao passar pelas sessões de regressão, nas duas sessões, a paciente só via sombras e uma faixa de luz que saia dela para outro lugar, mas que ela não conseguia identificar o que era. Na 3ª sessão (última), ela viu um ser espiritual, um vulto escuro, e uma faixa de luz que saia dela em direção a esse ser.

– Peça para esse ser espiritual se identificar – pedi a paciente.
Ele diz que viveu comigo na vida anterior à atual, e que foi meu marido, mas nos separamos. Fala que não vai me deixar nunca, jamais!

– Pergunte-lhe como você pode ajudá-lo?
Ele disse que não precisa de ajuda, que vai esperar por mim assim que eu desencarnar.

– Qual o motivo dele estar aqui no consultório?
Diz que vive da minha energia, que ele só está aqui porque suga toda a minha vitalidade e que é ele que impede que eu faça as coisas.

– Por que ele faz isso?
Porque só assim serei dele de novo. Diz ainda que faz com que eu não tenha vontade de sair de casa porque me quer só para ele… Ele é obcecado por mim! (pausa).

Dr. Osvaldo, agora está vindo uma luz dourada que nos envolve… Essa luz restabelece minhas forças e corta a conexão com este ser que suga minha energia. Essa luz se identifica como minha mentora espiritual… Fala que preciso também me ajudar, não deixando que esse ser atrapalhe a minha vida, sendo forte. Ela diz que se eu sentir vontade de ficar na cama, preciso reagir, tenho que me levantar, mesmo contra a minha vontade; preciso fazer a minha parte.
A minha mentora espiritual diz ainda que preciso pedir perdão para esse ser e que ele também precisa me perdoar, pois tivemos uma relação muito conturbada nessa vida passada, como marido e mulher. Ela diz que houve a separação porque tudo o que tínhamos que aprender naquela existência passada ocorreu, mas ele não aceitou. (pausa).

Dr. Osvaldo, ele está escutando com muita atenção o que a minha mentora espiritual está dizendo… Eu sinto que ele quer ir embora, mas há também de minha parte a vontade que ele fique… Eu irei sentir a falta dele (paciente fala chorando muito). (pausa).
Estamos nos despedindo com o compromisso de um dia voltarmos a ser marido e mulher… Ele está indo embora… Olha para trás pra me ver pela última vez… Agora entrou numa luz forte”. (pausa).

– Como você está se sentindo? – Pergunto à paciente.
Estou sentindo três coisas: a minha energia está de volta e há ainda tristeza por não tê-lo mais por perto. Mas também uma sensação de liberdade que eu desconhecia”.

Foto: reprodução

Anúncios