Caso clínico: Por que desde criança tenho problemas de saúde?

Mulher de 26 anos, solteira.

A paciente com três anos de idade foi submetida a uma cirurgia cardíaca reparadora, pois nasceu sem o septo do coração (parede que separa o coração em duas cavidades).

Após a cirurgia teve problemas de cicatrização, o corte da cirurgia não fechava. Aos 21 anos passou a sofrer de artrite (inflamação nas articulações) e não conseguia mais escrever, tendo que tomar muitos remédios anti-inflamatórios. Depois, seus gânglios (carocinhos que aparecem nas axilas, pescoço ou na virilha) incharam e seu médico diagnosticou que ela estava sofrendo de hiperplasia linfática (aumento do tamanho e números de células dos linfonodos – órgãos responsáveis pelo reconhecimento de antígenos).

Posteriormente, ficou um mês sem dirigir carro e andar por conta da artrite no quadril, sofrendo de muitas dores. Sentia também um vazio, tristeza e insatisfação pela vida, desânimo e um cansaço físico, desvitalização, a ponto de ter muito sono durante o dia.

Após passar pela 1ª sessão de regressão, na 2ª sessão, a paciente me relatou: ”Sinto uma forte dormência no braço esquerdo” – nessa terapia, a sensação de dormência costuma ocorrer por conta do campo vibracional do ser espiritual que o paciente sente ou capta ao lado dele.

Agora, sinto como se fosse desmaiar e um aperto no peito (paciente fala chorando). Vejo um vulto escuro do meu lado esquerdo…É um ser espiritual das trevas, e é homem”.

– Pede para esse ser espiritual se identificar – Peço à paciente.

”Ele me odeia…Diz que o matei na vida passada. Fala que o levei a se suicidar. Ele me amava, acabou enlouquecendo por minha causa. Afirma que o iludi, que me aproveitei dele”. (pausa).

– Pergunte-lhe como você se aproveitou dele?

”Revela que eu era casada com o irmão dele. Eu falava que sofria com o meu casamento, aí ele acabou tomando as minha dores e matou seu próprio irmão para ficar comigo. Mas afirma que depois eu não quis mais ficar com ele. Na verdade, ele me acusa que o usei para ficar com o dinheiro de seu irmão. Diz que fui muito dissimulada, fingi que gostava dele para conseguir o que eu queria”. (pausa).

– Pergunte há quanto tempo ele vem te acompanhando?

”Diz que uns 200 anos. Confessa que foi fraco, e que depois que não o quis, ele cometeu o suicídio. Fala que o único jeito para se libertar de sua angústia é tirando a minha vida, fazendo eu ficar doente”.

– Por que tirando a sua vida ele se liberta?

”Ele está muito nervoso, perturbado…Digo que não era minha intenção fazê-lo sofrer, e que hoje jamais faria o que fiz com ele na vida passada (paciente fala chorando muito).

Falo que sinto muito vê-lo sofrendo dessa forma…Vejo agora uma mancha em meu coração, parece sangue e sinto um aperto em meu peito. (pausa).

Por mais que eu diga que sinto pelo que lhe aconteceu naquela vida passada, ele só grita me culpando. Puxa o meu braço esquerdo com força”.

– Pergunte-lhe como ele se suicidou?

”Diz que se jogou no rio, pois estava desesperado…Quando lhe falei que iria ajudá-lo orando por ele, senti um calafrio, pois vi seu rosto muito machucado, deformado, cortado e com hematomas. Ele deve ter uns 35 anos, tem barba, usa uma camisa toda rasgada, suja e também uma calça preta imunda. (pausa).

Agora, aliviou um pouco a dormência que sinto no meu braço esquerdo… Ele fala que o seu nome é Daniel”.

No final dessa sessão, entreguei à paciente a oração do perdão para que ela fizesse de coração ao ser espiritual obsessor, emanando-lhe diariamente a luz dourada, o amor de Cristo.

Na 3ª e última sessão de regressão, ela me relatou: ”Sinto novamente a dormência em meu braço esquerdo…Vejo aquele vulto escuro, o Daniel, meu obsessor espiritual. Hoje ele não está tão escuro, vejo-o mais claro. Mas ele ainda está confuso…Diz que vem recebendo a oração do perdão que fiz para ele a semana toda. (pausa).

Ele me mostra aquela mancha de sangue em meu peito. Fala que ainda eu repito alguns erros de quando a gente viveu naquela vida passada. Sinto calafrios, dá uma sensação ruim, tenho medo dele”. (pausa).

– Vamos fazer juntos a oração do perdão e emanar-lhe a luz dourada, o amor de Cristo. (pausa).

”Vejo agora um ser de luz cobrindo-o com um manto branco… É uma mulher e têm outros seres de luz também…Ela coloca sua mão no meu peito, próximo ao coração, e tira uns emaranhados de nós, fios fluídicos… É como se ela tivesse nos separando e ele agora se sente enfraquecido. Ela me esclarece que esses emaranhados de fios, são nós fluídicos, uma forma que o Daniel encontrou para manter a minha tristeza e sugar, vampirizar a minha energia.

Ela fala que agora posso ter paz, pois ele vai ser levado e tratado no hospital do Astral”. (pausa).

– Pergunte quem é ela?

”Diz que é a minha mentora espiritual (ser desencarnado de elevada evolução, responsável diretamente pelo nosso crescimento espiritual) e que seu nome é Alice. Pede para eu ter fé, que estou curada. Diz ainda que os meus problemas de saúde, desânimo, vazio, tristeza, desvitalização e excesso de sono estavam sendo provocados pelo Daniel, pelo fato de eu estar alimentando culpa e remorso por tê-lo prejudicado no passado e, com isso, inconscientemente aceitava a sua influência espiritual.

Minha mentora espiritual pede também para eu continuar fazendo a oração do perdão para o Daniel porque quando ele se afastar definitivamente de mim, vou ainda sentir uma sensação ruim, aperto no peito por ter me acostumado esses anos todos com a sua presença em meu campo de energia.

Ela reitera novamente para ter fé e paciência, agradece ao senhor pela oportunidade que ela teve através dessa terapia porque eu não estava dando abertura para ela me ajudar, conversar comigo”.

Foto: reprodução

Anúncios