ARTIGO: Carma Familiar

family with children on hands, sunset sky“Cada pessoa decide como viverá e como morrerá, e a esse plano, que leva na cabeça aonde for, denominamos script. Sua conduta trivial pode decidi-la pela razão, mas suas decisões importantes já estão tomadas, com que tipo de pessoa se casará, quantos filhos terá, em que tipo de cama morrerá, e quem estará consigo quando morrer”. – Eric Berne


Por que a minha família não consegue prosperar por mais que a gente trabalhe duro?
Por que a minha família e os meus parentes se suicidaram ou tentaram o suicídio?
Por que toda a minha família toma antidepressivos?
Por que os casamentos de meus avós, pais, irmãos(as), terminaram em separação?


Essas e outras queixas são as mais comuns de pacientes que vêm ao meu consultório para se libertarem do carma familiar. A palavra ‘Karma’ é derivada do sânscrito Kri, que significa ação ou fazer. Etimologicamente, esta palavra (karma ou carma) quer dizer os efeitos das ações, e metafisicamente significa o efeito provocado por nossas ações anteriores, isto é, de outras vidas.

De acordo com as milenares escrituras hindus, carma é a lei equilibradora da causa e efeito, da ação e reação, da semeadura e colheita. Portanto, através de nossos pensamentos e ações, modelamos o nosso destino. Em outras palavras: nós colhemos inevitavelmente o que plantamos no passado (lei da semeadura).


Buda dizia que a roda cármica da vida – roda da samsara – gera sofrimento, pois o círculo vicioso dos mesmos erros cometidos pelo ser humano em sucessivas encarnações faz com que ele não consiga se libertar, sair dele. Sendo assim, é um destrutivo Script, roteiro de vida, que em sucessivas encarnações, muitas famílias vêm repetindo. Em suma, os membros da família não conseguem reescrever suas vidas, mudando-as.

Veja, como exemplo, o caso da sina dos Kennedy, onde os membros do clã morreram assassinados (John Kennedy, presidente dos EUA, e o seu irmão, o senador Bob Kennedy); em acidentes aéreos (o avô e o filho de John Kennedy), ou sofreram acidentes graves (o senador Ted Kennedy, outro irmão do presidente, foi vítima de um acidente grave de carro, no qual sua secretária veio a falecer, e seu sobrinho teve que amputar uma perna ao se acidentar quando estava esquiando).


Portanto, o carma familiar de alguns dos Kennedy foi terminar sua vida em tragédia. 
Já em outras famílias, o carma é de loucura, em que os membros são acometidos de algum tipo de distúrbio psiquiátrico. Atendi um paciente, certa vez, cujo histórico familiar -desde seu bisavô paterno até os bisnetos- era de esquizofrenia. 

Por isso, a TRE busca adotar com os pacientes a máxima secular de Cristo: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” para que possam se libertar da roda cármica familiar.

Nessa terapia, os membros da família se conscientizam – através de seus respectivos mentores espirituais – dos erros cometidos por eles em vidas passadas. É o caso, por exemplo, de um paciente que veio com o seu irmão – sua família era constituída pelos pais e cinco filhos – para entenderem por que não prosperavam financeiramente. Quando os dois irmãos passaram pela regressão de memória, seus mentores espirituais lhes mostraram a causa do insucesso financeiro familiar: numa vida passada, eles saquearam, roubaram e mataram os habitantes de um povoado.


Seus mentores espirituais aconselharam toda a família a fazer a oração do perdão de coração para que seus obsessores espirituais – cujas vidas foram ceifadas por essa família na encarnação passada – se libertassem das trevas. Após ajudá-los a irem para a Luz, todos os membros da família começaram a prosperar, conseguindo, dessa forma, reescrever suas vidas, mudando o carma familiar que os levou ao insucesso financeiro.

Anúncios