ARTIGO: Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece

a-espiritualidade-e-a-nossa-saude-de-cada-dia-279055-1Nota explicativa: Caro leitor, para um melhor entendimento da TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) – A Terapia do Mentor Espiritual, abordagem psicológica e espiritual breve criada por mim -, estou reeditando o artigo “Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece”, já publicado anteriormente.

“Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece” é um velho e conhecido ditado hindu que sempre utilizo ao explicar para os meus pacientes que não é por acaso a vinda deles ao meu consultório. Aliás, a palavra acaso, do ponto de vista metafísico, não existe, pois o prefixo “a” significa sem e “caso” vem de causa. Portanto, acaso significa sem causa, o que é uma inverdade, pois tudo na vida tem um nexo causal, isto é, tudo é regido pela Lei da causa e efeito. Assim, mesmo que não saibamos a causa que gerou um acontecimento em nossas vidas, existe certamente algo que ocasionou um efeito, acontecimento.

Mas, na vida, o que realmente importa é estarmos abertos, receptivos para a verdade. Por isso, o grande Mestre Jesus dizia: “A Verdade Vos Libertará”. Realmente, a verdade liberta, mas apenas para aqueles que estão prontos, maduros para entrar em contato com ela. Nesse sentido, a Terapia Regressiva Evolutiva(TRE) -– A Terapia do Mentor Espiritual (ser espiritual de elevada evolução, responsável diretamente pelo nosso crescimento) -, como instrumento de autoconhecimento e cura, propicia, através do mentor espiritual de cada paciente, revelações da causa e resolução de seus problemas. Mas, para isso, o discípulo (paciente) precisa estar aberto, receptivo para sintonizar-se com o seu Mestre (mentor espiritual), querer efetivamente passar por essa terapia.

A humildade é uma condição prévia para saber algo do passado, pois cada existência (encarnação) é acompanhada do esquecimento (barreira da memória que ocorre em forma de amnésia e não nos deixa recordar as vidas passadas).

Porém, este esquecimento é providencial, um presente Divino para facilitar as lições de vida, os aprendizados necessários, por conta dos resgates cármicos, isto é, de erros cometidos no passado.

Se para muitos é insuportável a lembrança de fatos acontecidos em sua infância – que são reprimidos e lançados no inconsciente (desvendados por Freud) – o que dizer de lembranças de atrocidades que todos cometemos em vidas passadas?

Por isso, é imprescindível que o paciente nessa terapia, a TRE, tenha um mínimo de humildade para admitir sua ignorância em relação à vida (vemos a vida por meio da fresta de uma fechadura) e, com isso, abrir-se para um aprendizado mais profundo. Caso contrário, o orgulho da mente racional do ego, que se manifesta através de dúvidas, incredulidade e ceticismo em relação à existência de seu mentor espiritual, irá impedi-lo de entrar em contato com o que o seu mestre espiritual teria a lhe dizer nas sessões de regressão em relação à causa e resolução de seu(s) problema(s).

É importante ressaltar, que na TRE, o paciente intui em pensamento – palavras, frases – o que o seu mentor espiritual lhe diz.
Portanto, nessa modalidade de terapia, é imprescindível que o paciente confie em sua intuição, no seu sexto sentido, que é o sentido de sua alma, do seu espírito.

Assim, em estado alterado de consciência (em alfa), onde o paciente não perde a consciência, através de seu espírito, de sua alma, ele vai conversar com o seu mentor espiritual.

Mas, para acessar a sua alma, é muito importante que ele não deixe que a mente racional de seu ego (dúvidas, incredulidade, medos, ceticismo) interfira, colocando em cheque a existência de seu mentor espiritual, achando que é tudo uma “fantasia”, produto de sua “imaginação fértil”.

Mesmo ao regredir em vidas passadas, alguns pacientes me perguntam se tudo o que trouxe nas sessões de regressão não foi fruto de sua imaginação (por conta do véu do esquecimento do passado, somos todos habitantes deste planeta, seres amnésicos, esquecidos, portanto, de que somos seres espirituais passando temporariamente por uma experiência terrena).

Como posso saber se o que falei para você na regressão não foi fruto de minha imaginação? – muitos me indagam. Portanto, quanto mais racional e cético for o paciente, mais tenderá a encontrar dificuldades em se entregar no processo regressivo.

Por conta disso, quero esclarecer que essa terapia é contra-indicada a pacientes muito céticos, incrédulos, que não acreditam nos fundamentos da espiritualidade (pluralidade da alma, ou seja, em vidas passadas, reencarnação, vida após a morte, mundo espiritual, lei do retorno ou carma, merecimento, etc.).

Infelizmente, a nossa cultura ocidental racional, cartesiana, tecnicista, reprime esta preciosa função – a intuição – que acaba sendo atrofiada em muitas pessoas, principalmente nos homens, por conta do processo educacional que valoriza mais o pensar do que o sentir, e que desconsidera a intuição.

Albert Einstein dizia que duas coisas são infinitas: O universo e a estupidez humana. Isto ajuda a explicar por que os grandes homens foram tão pouco compreendidos e tão estupidamente julgados, quando não crucificados. Ele dizia ainda que “não existe um caminho lógico para descobrir as leis universais; o único caminho é a intuição”.

Em verdade, na maioria dos casos, a vinda do paciente ao meu consultório teve influência de seu mentor espiritual. Ao lhe perguntar no final do tratamento o porquê de tê-lo influenciado a me procurar, muito mentores espirituais respondem que essa terapia, a TRE, foi à única forma que eles encontraram para se comunicar com o paciente e ajudá-lo.

Anúncios