ARTIGO: Transforme sua vida mudando de atitude

tn_620_600_Capa031241William James (1842 – 1910), psicólogo e filósofo americano, afirmou: “A maior descoberta de minha geração é que o ser humano pode alterar sua vida mudando sua atitude mental”.

A frase desse grande pensador norte-americano, a meu ver, é sem dúvida uma das maiores descobertas da contemporaneidade.

Entretanto, muitas pessoas – talvez a grande maioria – ainda buscam mudar suas vidas externamente e não nas atitudes. Justifica porque é mais cômodo, pois mudar de atitude dá mais trabalho, requer abrir mão de algo, precisa ter vontade, coragem, humildade, sair do comodismo, da zona de conforto, etc.  Há tempos atrás, quando era psicólogo organizacional, consultor do SEBRAE, um diretor comercial de uma empresa multinacional estava encontrando sérios problemas de relacionamento entre os funcionários, pois não havia cooperação, integração entre os departamentos. Então, me perguntou o que eu achava de ele retirar as divisórias que separavam os departamentos para que os funcionários pudessem se integrar melhor.

Respondi que essa medida poderia até ajudar, porém, seria inócuo se não tirasse antes as barreiras internas, as “divisórias internas” dos funcionários, isto é, os preconceitos, disputas de ego, orgulho, vaidade excessiva, egocentrismo, individualismo, falta de compromisso e profissionalismo, etc.

Caro leitor, dei esse exemplo para mostrar o quanto as pessoas tendem a mudar externamente e não internamente, nas atitudes. Não foi por acaso que o grande físico alemão Albert Einstein dizia que “é mais fácil quebrar o núcleo de um átomo do que os preconceitos humanos”.

Muitas pessoas ainda costumam fazer uma lista de metas para o próximo ano. Mas muitas não atingem essa metas – ou as atingem parcialmente – porque não mudam suas atitudes mentais.

Na TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) – A Terapia do Mentor Espiritual – Abordagem psicológica e espiritual breve, criada por mim em 2006,  após ter conduzido mais de 15 mil sessões de regressão, tive a oportunidade de presenciar as sábias orientações dos mentores espirituais (ser desencarnado de elevada evolução, responsável diretamente pelo nosso crescimento espiritual) de meus pacientes e todos falam de mudança de atitude, de postura que se deve tomar diante da vida.

Mas há pacientes que vêm ao meu consultório querendo uma solução mágica, milagrosa para a cura de seus males, problemas, ao invés de fazer suas próprias mudanças internas.

Na vida nada é gratuito, tudo tem a sua contrapartida, temos que abrir mão de algo para conseguirmos o que queremos. Mas muitos preferem atalhos, não querem abrir mão de nada para conseguir o que querem.

Há casais que procuram essa terapia para resolverem seus conflitos conjugais, mas de início percebo o egocentrismo, a mesquinhez, a economia de afeto de ambos.

O casal se queixa que o outro não lhe dá a devida atenção, carinho, o apreço que necessitam , mas pelo fato de cada um olhar apenas para seu próprio umbigo, não percebem a atitude autista que se encontram, pois nem um nem o outro trocam afeto, só esperam receber.

O mesmo se dá naqueles casais que se queixam de solidão a dois. Seus mentores espirituais lhes esclarecem que a solidão é fruto da incapacidade de amar, do medo da intimidade em razão de bloqueios oriundos de suas vidas pretéritas – ambos foram inimigos, desafetos de várias encarnações.
É comum também pacientes com vidas bloqueadas, sem um rumo na vida, seus mentores espirituais lhes revelarem a importância de pararem de se sabotar, cultivar o vitimismo, culpar as pessoas pelos seus fracassos.

Pedem para mudarem de postura, de atitude em relação a si e aos outros, tomando as rédeas de suas vidas.

Veja, a seguir, o caso de uma paciente que me procurou por estar com a vida bloqueada, perdida, sem rumo na vida.

Anúncios