ARTIGO: Viver com fé

images (7)A falta de sentido para a vida, onde a maioria das pessoas não sabe o que está fazendo aqui na Terra, aliado a luta pela sobrevivência, a correria do dia-a-dia, fazem com que o ser humano se afaste de sua verdadeira essência espiritual e tenha uma visão equivocada, materialista da vida.

Materialista não é apenas a pessoa que acredita somente no que é visível, palpável, concreto e mensurável, mas também que aumenta a fé quando os bens materiais aumentam e perdem a fé quando eles diminuem, ou louvam ao Pai Maior quando o corpo se torna saudável e descrê quando um ente querido adoece ou falece.

A fé baseada em graças materiais se desmorona de acordo com as alterações dos bens materiais porque acredita-se na matéria e não no Pai Maior e nas presenças invisíveis dos seres espirituais de luz.

Assim, independentemente de ter ou não um credo religioso, gênero sexual, grau de instrução, nacionalidade, situação sócio-econômica, o ser humano tende a passar por momentos de reflexão, que o faz questionar o verdadeiro sentido da vida.

A meu ver, a verdadeira fé é acreditar no invisível, no imaterial, isto é, nas forças intangíveis, naquilo que não se vê, mas que pode ser sentido. Não precisa necessariamente frequentar uma religião para se ter fé, pois a fé é um sentimento interior, visceral, inerente a todo o ser humano. É o que constatei com os meus pacientes que passaram pela TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) – A Terapia do Mentor Espiritual (ser desencarnado de elevada evolução, responsável diretamente pelo nosso crescimento espiritual) – Abordagem psicológica e espiritual breve, criada por mim em 2006.

Em meu consultório, há três perfis de pacientes que me procuram por conta da depressão, crise existencial, síndrome do pânico, fobias, dificuldades financeira/profissional, afetivas, familiar, saúde, etc., e que reagem diante de suas vivências espirituais nessa terapia da seguinte maneira:

a) Acreditam, sem ver 
– embora intuem, sentem as presenças de seres espirituais de luz (mentor espiritual, parentes falecidos) ou seres das trevas (obsessores espirituais);

b) Não acreditam, mesmo vendo-os (é a minoria);

c) Duvidam, mesmo vendo-os.

Sendo assim, para os pacientes que acreditam, nada mais ocorrerá do que a confirmação de sua crença na existência das forças invisíveis. Para os que não acreditam, fica o meu respeito e a esperança de que algum dia terão a maturidade espiritual necessária para acreditarem no plano invisível, pois os materialistas de hoje serão, forçosamente (infelizmente pela dor), os espiritualistas de amanhã, pois tudo se resume a uma questão de tempo.

Aos que duvidam, de alguma forma a vida irá lhes mostrar e dirimir suas dúvidas (seus mentores espirituais usam de vários expedientes no dia-a-dia como provas para fortalecer sua fé na presença e atuação dos seres de luz em suas vidas).

Mas quero ressaltar que essa terapia, TRE , não tem objetivo de doutrinar ou convencer ninguém acerca da pluralidade das existências (reencarnação), existência dos seres espirituais, obsessão espiritual, vida após a morte, astral superior (plano de luz), astral inferior (trevas), lei do retorno (carma), etc.

Seu objetivo é apenas convidar os pacientes a fazerem suas próprias vivências, a fim de chegarem a uma conclusão honesta e sincera do que observaram nas sessões de regressão para que possam transformar suas vidas e viver com fé.

Foto: reprodução

Anúncios