Caso clínico: Depressão pós-parto e Síndrome do Pânico

528147-Na-depressão-pós-parto-a-mãe-passa-a-evitar-a-presença-da-criança.Mulher de 36 anos, casada, um filho recém-nascido.

A paciente veio ao meu consultório acompanhada de seu marido. O nascimento de seu filho desencadeou sua depressão pós-parto e síndrome do pânico. Não conseguia cuidar do nenê, pois tinha vontade de largar tudo e sair correndo. Quando seu filho nasceu, ela chorava, sentia angústia, pânico, sentimento de incapacidade, achava que não era capaz de cuidar dele. Perdeu peso e, a partir daí, desenvolveu a síndrome do pânico e depressão. Desde então, não conseguia mais cuidar do nenê (quem cuidava da criança era o seu marido e sua sogra).

Não conseguia mais ficar sozinha com o filho.Quando ele chorava, sentia ânsia de vômito, dores abdominais, tristeza, culpa, desânimo e falta de coragem. Mas ao ficar longe da criança sentia alívio, pois para ela, cuidar dele era um fardo. Sempre teve muito medo de engravidar, achava que não levava jeito para ser mãe. Desta forma, não queira assumir a maternidade.

Após passar pela primeira sessão de regressão, na segunda sessão, a paciente me relatou: – Está tudo escuro, sinto muito frio…estou com medo (paciente fala chorando).

– Peça ajuda ao seu mentor espiritual – Peço à paciente.

– Vejo uma luz branca à minha frente…Mas escuto uma voz que fala que não vai me deixar tomar conta de meu filho (ela estava escutando um obsessor espiritual, ser das trevas).

– Pergunte a esse ser espiritual o que você fez para ele no passado? – Peço à paciente.

– É uma senhora de idade, só vejo o seu rosto. Ela dá risada de forma debochada. Diz que não vai me deixar em paz. Ela sente muita raiva de mim.

– Você gostaria de lhe dizer algo?

– Não sei o que fiz para ela. Só quero paz para cuidar de meu filho…Vejo novamente aquela luz branca em minha frente…é um ser espiritual, ela me diz que é a minha mentora espiritual, que está sempre comigo. Pede para acreditar, confiar nessa terapia. Revela que o meu nenê queria muito vir, e que a minha insegurança e o meu medo vão passar. Ela me lembra que o nenê não é um fardo, mas uma benção. Ele não veio para me prejudicar, ao contrário, veio para me ajudar, ensinar-me a ter paciência, tolerância. Fala que preciso aprender a ser mãe, e que isso não é difícil, é só querer. Ela diz: ”Essa senhora idosa (obsessora espiritual) que está lhe prejudicando foi casada com o seu bisavô paterno; portanto, ela é a sua bisavó. Ela tem muita inveja de você, quer te ver no chão”. (pausa).

Agora, ouço a minha bisavó falando…Ela diz que o que puder fazer para me prejudicar, vai fazer. Quer ver toda a minha família louca, desequilibrada, pois tiraram alguma coisa dela no passado.

– Que coisa? – Pergunto à paciente.

– Diz que tiraram a sua felicidade, pois prejudicaram a sua vida , destruíram o seu casamento. Fala que roubaram o seu marido, o meu bisavô paterno. Por isso, ela está me prejudicando pegando o meu ponto fraco, que é o nenê. Como ela foi casada com o meu bisavô paterno, ela não quer ver ninguém feliz por parte da família dele. Ele a abandonou, deixando-a sozinha, e ela acabou morrendo amargurada. A luz está voltando, é a minha mentora espiritual. Fala que as coisas vão se resolver, pede para ter paciência, que vou chegar lá, pois tenho muita luz. Ela agradece o meu marido (ele estava presente no consultório, acompanhando a sessão de regressão). Diz que o meu filho vai me trazer muitas coisas boas, pois é um espírito muito evoluído, tem muita luz. A minha mentora espiritual está jogando agora pétalas de flores em cima de mim. Pede para orar pela minha bisavó e para todos os meus antepassados por parte de meu pai.

Na sessão seguinte (terceira e última sessão), a paciente me relatou: – Vejo um lugar muito bonito, tem muita gente, cheio de crianças…É no plano espiritual. O local é de muita luz, as crianças flutuam. Vejo uma moça que me estende a mão, é loira, cabelos compridos, usa uma túnica branca e um crucifixo grande no peito. É a minha mentora espiritual. Ela é freira, quer me revelar mais coisas sobre o meu passado. Diz que tem a ver com a separação de meu bisavô paterno.

Revela que fui eu que provoquei a separação deles, pois roubei o marido dela, o meu bisavô paterno nessa vida passada. A minha bisavó ficou com muita raiva de mim, pois engravidei dele, mas que eu senti culpa por isso, pois ela era a minha irmã.

Por isso, a minha gravidez conturbada de hoje tem a ver com a gravidez dessa vida passada, pois não me sinto merecedora de ter um nenê, o direito de ter um filho. Agora estou entendendo o porquê de quando cuido do meu filho na vida atual, sinto-me culpada. Com o seu nascimento, desencadeou em mim a culpa que ainda trago dessa vida passada…Sinto a presença de minha bisavó aqui no consultório. Ela me indaga, chorando: ”Por que você fez isso comigo?! Gostava de você como irmã, mas não tinha esse direito de me prejudicar!”.

Eu digo que hoje jamais faria isso, tanto que ainda sinto culpa pelo que lhe fiz. Por isso, não queria nascer, reencarnar (paciente nasceu de fórceps).

Não queria reencarnar porque sabia que, na vida atual, iria engravidar. Quando estou sozinha com o meu filho, fico pensando: – Quem sou eu para cuidar dele?! Não me sinto merecedora!

A minha bisavó reforça a minha culpa de ser mãe, pois tomei a sua chance de ser feliz como mãe naquela vida passada. Ela fala chorando que não teve filhos. Estou lhe explicando que o meu filho não tem nada a ver com o meu erro do passado. A minha mentora espiritual me esclarece que o meu filho veio como menino porque naquela vida passada tive duas filhas. Então, ele veio para amenizar a minha culpa, dando-me uma nova oportunidade, uma experiência completamente diferente daquela vida pretérita.

Ela esclarece também, que naquela existência passada eu era muito apegada às minhas filhas, possessiva, achava que elas me pertenciam. Por isso, hoje sou desapegada ao meu filho, pois tenho medo de me tornar novamente aquela mãe possessiva. Ela me adverte que a minha culpa reforça, dá poder à minha bisavó de me prejudicar. (pausa).

A minha bisavó fala que a minha sorte é que hoje tenho um marido que cuida de meu filho, mas que eu merecia ter um marido que me abandonasse, como ocorreu com ela.

– Pergunte se ela gostaria de receber ajuda dos espíritos amigos para ir para a luz? – Peço à paciente.

– Diz que sim, pois hoje ela reconhece que estou mais espiritualizada; por isso, quer me dar uma chance.

– Diga que ela também merece uma nova oportunidade para ser feliz – Peço à paciente.

– Ela fala que ainda vai demorar para ser feliz porque sofreu muito, mas afirma que quer me perdoar. A minha mentora espiritual me diz que depois da sessão passada muitos mentores espirituais vieram conversar com minha bisavó para que ela me perdoasse.

Diz ainda, que a minha bisavó me esperou desencarnar naquela vida passada para me aprisionar. Quando desencarnei, fui parar nas trevas, e ela me prendeu, me fez de prisioneira por conta da culpa que eu sentia. Ela me isolou nas trevas, não deixando ninguém chegar perto de mim. Por isso, hoje ainda tenho vontade de me isolar, ficar sozinha.

Minha mentora espiritual me acalma dizendo para não ter medo, que vou superar tudo isso. Pede calma, pois posso e devo contar com as pessoas à minha volta. Pede para ficar sozinha com o meu bebê, que nada de ruim vai acontecer. Pede também para continuar tomando os remédios antidepressivos e ansiolíticos, pois estão me ajudando, e que aos poucos, vou conseguir ficar sozinha com o nenê. Finaliza, dizendo que era isso que ela tinha para me dizer nessa terapia. Reitera mais uma vez para não me preocupar, pois tudo vai ser resolvido ao seu tempo. Ela se despede, está indo embora.

Anúncios

2 comentários em “Caso clínico: Depressão pós-parto e Síndrome do Pânico

  1. Gostaria de saber porque minha vida e tão difícil tenho ódio mortal pela família do meu marido principalmente do meu cunhado do meio nao combino com ninguém minto muito sinto raiva por ver que tem pessoas que nao merecem ganhar algo ou ser feliz conseguirem e eu nao já tentei suicídio varias vezes perdi meus pais e sou filha única minha engravidou de mim e dois gêmeos que morreram ao nascer meu pai a enganou e já tinha outra família com 5 filhas a família dele toda nao gosta de mim o pai de antes de morrer me chamou de bastarda hoje sou casada a 11anos meu marido e bom. Mais nao defende a família eu e os filhos temos 3 sendo que os 3 tem problemas de epilepsia e transtorno de comportamento todo mundo reclama deles eu sou muito agitada reclamo de tudo e brigo com Deus porque nao entendo minha existência só ainda nao fiz nada grave com minha vida porque tenho medo dos meus filhos sofrerem sou uma pessoa que xinga muito nome ruim até mesmo eles quando me fazem raiva sinto ódio de tudo quero brigar com todos e odeio minha vida todos os meus partos foram difíceis e depois me dava medo de ficar sozinha medo da noite sentia vontade de jogar longe o bebe se eu ficasse sozinha hoje tenho idéias fixas como se eu fosse louca relembro do passado odeio meus pais que me deixaram na miséria se eu nao fosse casada estaria na rua. Nao consigo ter amigos até meu marido esta se cansando de mim . O que será isso sei que minha mãe quando era pequena via a madrinha dela e desmaiava sem motivo nenhum e esta mulher era espirita nem minha mãe conseguiu ser feliz e eu tenho vontade de sumir nao fico satisfeita com nada. Por favor me ajudem nem de Deus mais eu quero saber abandonei tudo

    Curtir

Os comentários estão fechados.