Como superar os obstáculos da vida?

A vida tem seus próprios meios de desenvolver a nossa consciência; muitas vezes, utilizando métodos que ainda não podemos entender, como por exemplo, a morte de entes queridos por acidente de carro, doenças graves, assassinatos, perdas financeiras, falência, desemprego, etc.
Esses incidentes nos parecem injustos ou incompreensíveis porque nos faltam elementos para entender as suas causas. Por isso, é comum os pacientes virem ao meu consultório revoltados, sentindo-se injustiçados diante das agruras da vida. Entretanto, ao entrarem em contato com os seus respectivos mentores espirituais – seres desencarnados de elevada evolução espiritual, responsáveis diretamente pelo nosso aprimoramento espiritual – são orientados acerca da causa de seus problemas e sua resolução.

Diante das adversidades, dos obstáculos, próprios dessa vida terrena, de provas e expiações, para depurar as más inclinações e tendências inferiores que trazemos de outras encarnações, podemos encontrar três situações em nossas vidas:
1) Aquelas que não estão sob nosso controle e, portanto, não podem ser mudadas pelas nossas ações;
2) Aquelas que estão sob nosso controle e só dependem de nós para serem mudadas;
3) Aquelas que, embora não possamos modificar diretamente, podemos tentar influenciar na mudança.

Sendo assim, nas provas, nos testes da vida, temos a opção de escolher os caminhos, entretanto, não podemos nos afastar do que precisamos passar, experimentar. E nas expiações, nada podemos fazer, a não ser nos resignarmos porque se trata de um resgate cármico de erros cometidos no passado.
Todavia, quero deixar bem claro que a aceitação das coisas que não podemos mudar, não pode ser entendida como um convite à inércia, pois como Espíritos, estamos sempre em evolução, em constante aprendizado.
Neste aspecto, os problemas, os obstáculos da vida, são sempre oportunidades de aprendizado e de mudança interna.
Resumindo, há uma oração que traduz muito bem o que expus até agora, que é a oração da serenidade, escrita pelo teólogo protestante Reinhold Niebuhr, que viveu de 1862 até 1971, e que trabalhava no Union Theological Seminary, nos EUA.
É uma oração bem curta e singela, porém, muito profunda: “Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar; coragem para modificar aquelas que podemos, e sabedoria para distinguir umas das outras”.

Essa oração destaca quatro virtudes fundamentais que precisamos desenvolver para superar os obstáculos da vida: serenidade, aceitação, coragem e sabedoria.

Caso Clínico:
Por que nunca tive estabilidade financeira, profissional e afetiva?
Homem de 47 anos, solteiro.

O paciente veio ao meu consultório querendo entender por que nunca teve uma estabilidade financeira, profissional e afetiva, enfim, nunca foi próspero. Sentia-se perdido, pois não sabia qual era o seu verdadeiro caminho profissional. Tinha baixa autoestima, sentimento de desvalorização e inferioridade, pois até hoje, aos 47 anos, não tinha conseguido nada em sua vida; por isso, sentia-se um fracassado. Queria entender também por que nunca se deu bem com o pai, pois o relacionamento dos dois sempre foi conturbado, difícil, sem diálogo.

Após ter passado por quatro sessões de regressão, na 5ª e última sessão, assim me relatou: “Vejo uma mulher toda de branco, com véu também branco… Ela me espera no portão (na verdade, esse portão é um portal, um recurso técnico que utilizo sempre nessa terapia, que separa o passado do presente, o mundo espiritual do mundo terreno), tem cabelos claros, cacheados, olhos azuis, bem escuros, e quando olho no fundo deles, irradia uma luz branca muito forte”.

– Pede para ela se identificar – Peço ao paciente.
“Minerva é o nome dela, a Deusa das matas, e afirma que é uma das minhas mentoras espirituais. Ela me diz: – Nem sempre fazemos o que queremos, mas temos que seguir em frente. Siga o caminho da luz, ultrapasse todos os obstáculos da vida e acredite no seu potencial. A vitória não está longe, mas a luta continua.

Estamos andando num jardim (plano espiritual de luz) e chegam outras mulheres também vestidas de branco. Há muitas borboletas coloridas de vários tamanhos.

O jardim tem uma grama alta, o vento sopra, balançando o gramado. A gente continua andando, conversando como se fossemos velhos conhecidos. Sinto como se tivesse conversando com uma amiga que não falo há muito tempo (para quem não sabe, o mentor espiritual é o nosso verdadeiro amigo fiel).

Sinto também vontade de chorar, saudade, ao mesmo tempo amor e paz, pois ela transmite muito amor, carinho, compreensão, e me sinto muito protegido e seguro”.
– Pergunte se ela tem algo a lhe dizer? – Peço ao paciente.
“Pregue o amor por meio das palavras e também através do seu exemplo de vida, da ajuda mútua, da compreensão das diferenças, da aceitação de cada situação, mostrando para cada pessoa que sempre há uma solução e não aceitar ser escravizado por ninguém, sendo plenamente feliz. Ela diz ainda: – Coragem, meu filho! Você sabia no Astral, antes de reencarnar, que não ia ser tranquila sua encarnação atual, mas, no final, você vai conseguir fazer o que precisa”.

– Pergunte à sua mentora espiritual por que você não tem prosperidade?
“Quando acreditar em si terá tudo o que deseja, pois não se sente merecedor – ela me responde”.

– Pergunte-lhe por que você não se sente merecedor? – Peço novamente ao paciente.
“Outros fizeram coisas piores que você nas existências passadas e nem por isso estão se autopunindo como você faz hoje. Lembre-se de que estamos em constante evolução e aprendizado, por isso, o erro faz parte. Deixe de ser tão exigente consigo mesmo, perdoe-se. Por não se perdoar, não se sente merecedor de ser amado, de ter prosperidade, de ser uma pessoa admirada, respeitada. (pausa).
Eu lhe indago o que fiz no passado para não me sentir merecedor? (pausa).
Diz que numa vida passada saí do caminho do amor, usei a violência e o poder de maneira errada, querendo impor e manter uma situação, quando, na verdade, sempre o melhor caminho é o bom argumento, a colaboração e a união entre as pessoas. Diz ainda: – Não desperdice energia lutando, mas, faça com que as pessoas o sigam. Você sabe aonde chegar e como chegar; então, siga em frente e ajude o maior número possível de pessoas.

– Pergunte-lhe qual é o seu verdadeiro caminho profissional para ajudar as pessoas?
“Você deve seguir todos os caminhos onde se faça ser ouvida, ela responde. (pausa).
Vejo agora um auditório cheio, estou no palco e as pessoas me ouvem (nesta terapia, pode ocorrer do mentor espiritual do paciente lhe mostrar uma cena futura). Atrás de mim, tem uma imagem projetada num telão de uma borboleta pousando numa flor.

– Pergunte à sua mentora espiritual qual o significado dessa cena da borboleta?
“ Diz que é um seminário que vou ministrar sobre a conscientização da natureza, do meio ambiente. Vou falar também sobre a integração de pessoas, do amor coletivo, a eliminação do ódio e das guerras. Eu pergunto se vou precisar falar em inglês?”.
Ela responde: – Você precisa saber várias línguas, mas existe uma língua universal que é o amor, onde todos entendem.

Pergunto ainda como posso mudar os meus relacionamentos afetivos?
– Acreditando mais em você e respeitando as diferenças entre as pessoas. Cada um tem sua vida, maturidade e missão. Saiba aproveitar essas diferenças para aprender e evoluir como ser de luz que é. Muitas vezes, as pessoas reagem a partir de nossas ações, ou seja, todos têm medo, receio e fantasmas vindo de outros relacionamentos. No fundo, todos querem se autoproteger e não sofrer, machucar-se. Mas é preciso dizer o que sente e o que pensa e não ter medo de se expor, de amar. Amor não se mede pelo retorno e, sim, por quanto você ama, o que sente, e o que ele representa para você. Não espere ser feliz, através do sentimento do outro. Seja feliz por você, aceite-se, ame-se!

A partir do momento que se aceitar, se amar e entender que todos têm imperfeições, falhas, dias ruins, você vai conseguir entender melhor as pessoas e saber que a felicidade está dentro de você mesmo. (pausa).
Minha mentora espiritual está sentada num banco de madeira nesse jardim, e eu estou sentado na grama, apoiado no colo dela. Ela diz ainda: – Como você pode querer fazer alguém feliz antes de ser feliz?
Ame-se e acredite! O sucesso, a prosperidade, a saúde, a alegria e o amor são dons do ser de luz.
Você já nasceu com esses dons, então, não os bloqueie. Simplesmente aceite e os receba, use-os da melhor maneira, com sabedoria, em benefício do maior número de pessoas. É obrigação de todos os seres que estão um pouco melhor posicionados socialmente ajudarem àqueles que nessa encarnação têm que passar por grandes provações. Ser irmão não é resolver os problemas alheios, mas sim fazer com que esses problemas se tornem mais fáceis de serem resolvidos”.

– Pergunte-lhe por que você e o seu pai tiveram um relacionamento conturbado?
“Já fomos pai e filho também numa outra encarnação. Foi numa época antiga, medieval… Vejo uma imagem num casebre pobre e ele me cobrando por ter trazido pouco dinheiro. Vejo só nós dois morando nesse casebre, não tem luxo, não tem quase nada, só um fogão à lenha. Tem uma mesa de madeira, não sei se o meu pai nessa vida passada não podia trabalhar. As nossas roupas são trapos, bem pobres. Ele já tem uma idade avançada, usa um cajado para andar, e eu também não sou novo, devo ter uns 40 anos.
Digo-lhe que só consegui isso, e lhe entrego umas moedas. Na verdade, esse dinheiro é de esmola que pedi na rua. Tenho uma sensação de tristeza, de fracasso por não arrecadar mais dinheiro porque ele já tinha certa idade.

Eu me sinto um fracassado por não conseguir proporcionar uma vida melhor para o meu pai. (pausa).
Estou ainda sentado, apoiado no colo de minha mentora espiritual, e quando faço as perguntas para ela, do seu lado abre uma tela me dando às respostas… Agora nessa tela aparecem as imagens de duas crianças andando num jardim”. (pausa).

– Pergunte à sua mentora espiritual quem são essas crianças?
“As crianças correm em direção a uma mulher muito bonita, que diz: – O papai chegou!”.

– Você conhece essa mulher? – Pergunto ao paciente.
“Não. E as duas crianças não consegui vê-las de frente porque estavam correndo em direção à mãe”.

– Então, pergunte à sua mentora espiritual quem são essas crianças e essa mulher? – Peço novamente ao paciente.
“Fala que foi a minha família numa vida passada, em 1930”.

– Pergunte por que ela lhe mostrou essa família?
“Ela responde: – Porque a vida continua e os amores vão e vêm. Não desista, lute pelo novo amor. Acredite, isto está perto de acontecer. Viva sempre em plenitude, busque o todo, viva tudo por inteiro: os relacionamentos, o trabalho, as amizades. Quando estiver num lugar, esteja sempre inteiro: mente e corpo. Levante a cabeça, siga em frente e não desista. A felicidade está muito mais próxima do que você imagina. A alegria de viver é o seu objetivo. Seja feliz!”.

 

 

 

Anúncios

3 comentários em “Como superar os obstáculos da vida?

Os comentários estão fechados.