É possível aprender sem dor?

“Deus dorme nos minerais, sente nos vegetais, sonha nos animais e desperta nos homens”.

– Ditado oriental antigo

No atual estágio de evolução em que encontramos, não é possível aprender sem dor.

Por conta do grau de alienação, de inconsciência em que se encontra, a grande massa de pessoas não acredita que está nessa vida terrena para evoluir, isto é, se tornar um ser humano melhor.

Por isso, vive por viver, não está preocupada em evoluir, apenas busca o prazer, a felicidade momentânea, mas se não consegue, acaba sofrendo.

Mas por que sofre?

Porque não consegue lidar com os maus hábitos (vícios) e imperfeições, isto é, os defeitos, as inclinações negativas de personalidade, tais como a maledicência, ódio, ira, egoísmo, inveja, ciúme, ganância, vaidade, orgulho, sentimentos de inferioridade, medo, etc., oriundos de várias encarnações passadas.

Desta forma, somente os grandes avatares (mestres espirituais) – dá para contar nos dedos quantos são – não passam pela dor e sofrimento na mesma proporção como passamos, pois já vieram com o conhecimento e sabedoria para ajudar esse Planeta.

Na verdade, eles vieram mais para ensinar do que aprender pelo nível de consciência e evolução que se encontravam.

O conhecimento é transmissível, porém, não a sabedoria. É o que esses avatares possuíam porque é relativamente fácil adquirir conhecimento, mas, sabedoria é para poucos, pois requer um trabalho interior intenso. A vida é como uma escola, à medida que vamos atingindo níveis mais elevados de entendimento a nosso respeito e da vida, as disciplinas vão se tornando mais difíceis, e a verdade nelas contidas vai se tornando cada vez mais ampla e profunda. Por isso, é no âmago das matérias difíceis que se encontra a verdade profunda.

Os grandes mestres espirituais se empenharam numa disciplina de autoconhecimento e busca da verdade profunda, com entrega e receptividade e, principalmente, amaram e serviram à humanidade.

Não obstante, por conta do baixo nível de evolução da grande massa de homens eles foram tão pouco compreendidos e estupidamente julgados, quando não crucificados no meio de ladrões como ocorreu com Jesus Cristo.

Sendo assim, para a maioria das pessoas, o sofrimento é para despertar para a vida, para uma nova consciência e, neste aspecto, há os que aprendem rápido com o sofrimento, mas outros demoram em fazer seus aprendizados.

Muitos aprendem somente quando vão ao fundo do poço, porém, há aqueles que nem assim conseguem mudar, evoluir. Mas como tudo na vida tem o seu tempo, pois a natureza não dá saltos, não é necessário “apressar o rio” porque ele tem seu fluxo natural, seu próprio ritmo. Analogamente falando, devemos também respeitar e aceitar o nível de evolução de cada um, porém, isso requer humildade, que é reconhecer e respeitar as nossas limitações e a dos outros.

Finalizo esse artigo parafraseando Freud, o pai da psicanálise: “Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo da mudança, o ser humano tende a mudar”.

Caso Clínico: Trabalho de magia negra

Homem de 28 anos, solteiro.

Paciente me procurou bastante angustiado, pois há oito anos sentia constantes dores de cabeça, no estômago e fadiga; à noite ficava agitado, seu sono era picado na maioria das vezes. Procurou vários especialistas, fez todos os exames médicos e não acusaram nenhuma anomalia.

No centro espírita onde trabalhava como médium de psicofonia (incorporação) foi orientado pelos mentores da casa que sua ex-namorada havia lhe feito um trabalho de magia negra. Ao procurá-la para se reconciliar, ele lhe indagou por que havia feito esse trabalho, mas ela não conseguia falar, só chorava.

O trabalho de magia negra também fez com que ele não sentisse mais desejo sexual pela sua atual namorada. Quando a tocava, sentia que estava fazendo “algo errado”, pois não a via mais como mulher, e, sim, como uma filha.

Queria entender também por que apesar de ajudar tantas pessoas como médium no centro espírita, os mentores espirituais da casa não o orientaram como ele poderia resolver suas dores constantes de cabeça e estômago, além de enjoos e fadiga.

Após ter passado por duas sessões de regressão de memória, na 3ª sessão, o paciente me relatou: “Vejo um guerreiro de armadura da idade média (ele estava se vendo numa vida passada). Ao mesmo tempo apareceu outra imagem, uma fazenda num campo (estava vendo também uma cena de outra vida passada).

A imagem desse guerreiro de armadura montado num cavalo branco está do meu lado esquerdo e a cena da fazenda eu a vejo do meu lado direito.

O guerreiro segura um escudo com uma mão e com a outra, uma lança grande. Vejo agora uma mulher, uma senhora que usa uma bata branca, ela diz que é a minha mentora espiritual. Fala que nessa existência passada como guerreiro acabei morrendo numa batalha levando uma machadada na cabeça.

Fala ainda que aquela cena da fazenda foi outra vida onde eu era um pequeno comerciante, e que morava nessa fazenda. (pausa).

Agora apareceu uma imagem eu abraçando uma criança, que era minha filha nessa vida da fazenda. A minha mentora espiritual fala que essa filha é a minha namorada atual, e que a minha esposa nessa existência passada faleceu de uma doença.

Por isso foi uma encarnação que senti muita tristeza e me apeguei demais à minha filha. Ela me esclarece que a causa de minhas dores de cabeça constantes e a falta de desejo sexual pela minha atual namorada veio depois que a minha ex-namorada fez esse trabalho de magia negra para me prejudicar. Ou seja, a magia negra disparou como um gatilho traumas de minhas vidas passadas.

Esclarece ainda que a dor de cabeça veio da machadada que levei na cabeça, e que tirou a minha vida naquela existência passada como guerreiro, e a falta de desejo sexual pela minha namorada vem daquela existência que ela foi minha filha”.

Na 4ª sessão, ele me relatou: “A minha mentora espiritual diz que no trabalho de magia a minha ex-namorada enterrou os objetos que representavam a minha cabeça, fotos minha e de minha atual namorada. Ali foi aprisionada a minha força, que dali é puxada a minha energia vital, onde os seres trevosos a manipulam. É isso que faz com que eu sinta muita fadiga”.

– Pergunte à sua mentora espiritual por que você teve que passar por essa experiência de magia negra?

“Diz que foi um aprendizado para minha evolução, amadurecimento espiritual, mas que ela está sendo desfeita. Na magia negra foram usados dois bonecos – um me representando e o outro a minha atual namorada; ambos foram amarrados um de costa para o outro para cortar a relação homem e mulher. Diz ainda que foram usados os elementos ácidos para amargar a nossa relação e crescimento material”.

Na 5ª e última sessão, o paciente me relatou: “A minha mentora espiritual fala que os médicos do Astral vão fechar a minha memória perispiritual (corpo espiritual) daquelas duas encarnações onde foram ativados com o trabalho de magia e, com isso, os traumas, as impressões negativas vão parar de vibrar em minha mente, pois foram trazidas à tona de meu inconsciente. Diz que todas as impressões negativas daquelas encarnações passadas vão ser desagregadas, diluídas com o tempo.

Mas pede para que eu assuma uma nova postura perante a mim mesmo, que devo deixar tudo o que passei para trás em busca de novos aprendizados, de paz, equilíbrio, mudando meus padrões de pensamentos, sentimentos e atitudes, enfim, tudo o que passei de negativo, pois esse ciclo está se encerrando.

Afirma que a minha missão na vida atual é realmente o que venho fazendo no centro espírita, pois sou um médium de cura não só físico, mas também espiritual nos trabalhos de desobsessão de muitos encarnados que sofrem ataques espirituais de seus obsessores espirituais.

Afirma ainda que devo sempre levar esperança para os irmãos desacreditados de si mesmo, dos que perderam a fé na vida, pois sempre é hora de um recomeço. Diz que o meu principal aprendizado é dar mais valor à vida, ter fé, acreditar mais em mim mesmo. Diz que passei por todas essas experiências, dores, como aprendizado para poder ajudar os irmãos encarnados que passam também pelas mesmas dificuldades que estou passando.

Revela que muito em breve começará um novo ciclo em minha vida, que é quando faço aniversário. Finaliza dizendo que no centro espírita onde trabalho os mentores espirituais da casa não me orientaram a respeito de meus problemas oriundos da magia negra porque estava no início de um ciclo de aprendizado que veio de Deus para eu adquirir a sabedoria e a experiência com esses problemas.

Ela faz questão de esclarecer que ninguém pode interferir nesse ciclo de aprendizado; por isso, reafirma novamente para ter fé, confiar, acreditar mais em mim, e que apesar das dificuldades sempre existe um caminho de luz a seguir, mas que infelizmente nas dificuldades muitas pessoas se entregam a um caminho negativo e, com isso, muitas vezes, cometem até o suicídio”.

 

 

 

Anúncios